quinta-feira, 28 de outubro de 2010





Foi comemorado nesta terça-feira dia 26 de outubro, os 20 anos do Folha Top of  Mind. A apresentação foi da dupla Fernanda Torres e Oscar Filho que arrancaram risos da plateia que lotou o HSBC Brasil. As vencedoras desde a primeira edição que teve início em 1991 foram; Coca-cola, Omo, Kibon, Hellmans, Phillips e Volkswagen em seus respectivos segmentos. O Topo of Mind é uma iniciativa do jornal Folha de São Paulo, que tem o intuito de pesquisar anualmente quais são as marcas mais lembradas pela população, o termo Top of Mind é utilizado na área de marketing empresarial, uma maneira de qualificar as marcas que são mais populares na mente dos consumidores.

Segue abaixo a lista completa dos vendecores:

Top do Top: Coca-cola (6%), Omo (6%), Netlé (3%) e Nike (3%)
Top Performance (maior crescimento): Bnaco do Brasil e Colgate
Top do Ambiente: Natura e Ypê (6%) cada
 Top Masculino: Pirelli
Top Feminino: Seda
Top Família: Rayovac
Top Classe A: Brastemp
Top Popular: Kibon
Top Sudeste: Casas Bahia
Top Nordeste: Primor
Top Sul: Tintas Renner
Top Norte/Centro-Oeste: Mabel
Telefone Celular: Nokia (42%)
Operadora de Celular: Vivo (2%)
Caixa Rápido: Banco do Brasil (39%)
Plano de Saúde: Unimed (33%)
Poupança: Caixa Econômica (41%)
Seguro: Bradesco Seguros(10%)
Lojas de Móveis e Eletrodoméstico: Casas Bahia (28%)
Material Esportivo: Adidas (19%)
Sabão em Pó: Omo (82%)
Supermercado: Carrefour e Extra (6%) cada
Tinta de parede: Suvinil (34%)
Adoçante: Zero Cal (40%)
Azeite de Oliva: Gallo (24%)
Biscoito: Trakinas (7%), Nestlé (5%), Fortaleza (5%) e Mabel (5%)
Cerveja: Skol (41%)
Chocolate: Nestlé (33%)
Leite: Ninho (12%), Parmalat (12%) e Itambé (11%)
Maionese: Hellmann's (69%)
Margarina: Qualy (24%)
Refrigerante; Coca-cola (61%)
Sorvete: Kibon (63%)
Aparelho de TV: Semp Toshiba (18%) r Phillps (17%)
Aspirador de Pó: Arno (15%)
Fogão: Dako (23%) e Brastemp (21%)
Geladeira: Cônsul (40%)
Máquina de lavar roupas: Brastemp (32%)
Notebook: LG (6%), Positivo (4%), Dell e Samsung (3%) cada
Pilha: Rayovac (47%)
Aparelho de barbear: Gillete (37%)
Desodorante: Rexona (34%)
Fralda descartável: Pampers (26%)
Pasta de dente: Colgate (52%)
Protetor solar: Sundown (19%)
Xampu: Seda (38%)
Sabonete: Lux (37%)
Carro: Volkswagen (31%)
Combustível: Petrobras (23%)
Cia aérea: Tam (39%)
Pneu: Pirelli (42%)

Camila Alzira e Joana D'Arc

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Será que o sol é realmente para todos?

video

Considerando que ele é fonte de vida, sim o sol é para todos. Mas você já pensou em olhar para o relógio ás 14:00 h e nas ruas absolutamente tudo estiver escuro?
  Pois é isso que acontece quando chega o inverno na cidade de Longyearbyen na Noruega. Os habitantes ficam durante quatro meses sem ver o sol e pensando no desconforto dessas pessoas (há estatísticas que mostram, que o índice de suicídio é altíssimo nestas regiões, um dos pontos mais afastados do planeta próximo ao pólo norte), a Phillips desenvolveu uma tecnologia que simula o sol, já que o equipamento acende gradualmente. O diretor Doug Pray irá transformar as experiências dessas pessoas em um documentário, vocês podem acompanhar pelo site www.philips.co.uk/c/luz-therapy/38702/cat / ou pelo facebook. A campanha Wake-Up Light, foi desenvolvida pela agência Tribal DDB em Amsterdã.
Muito bacana a iniciativa da Phillips e de todos envolvidos!

Camila Alzira e Joana D'Arc.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O verdadeiro sentido da publicidade resumido em um vídeo.

video


  Este vídeo foi produzido com o intuito de conscientizar as pessoas do Reino Unido (mas que acaba influenciando o mundo todo) com relação a importância do uso do cinto de segurança. Não utilizaram de sangue, choradeira e desastres, além dos que já estamos acostumados a ver. Os caras da Sussex Safer Roads Partnership (SSRP), contaram apenas com a criatividade e a tecnologia slowmotion.
  A mensagem publicitária consegue ser clara, simples e objetiva além de explorar o emocional das pessoas. Com certeza essa peça publicitária merece respeito. Muito bacana e parabéns aos criadores !

Camila Alzira e Joana D' Arc

Que tal poder construir seu próprio carro?


  Foi apresentado nesta segunda-feira dia 25 de Outubro no 26ª edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, o modelo de carro-conceito criado através das sugestões enviadas pelos internautas no portal da Fiat (www.fiatmio.cc), que desde agosto de 2009 totalizou cerca de dois milhões de visitantes.  Participaram pessoas de 160 países, onde 17 mil internautas se cadastraram e mais de 10 mil ideias foram postadas. João Ciaco (diretor de publicidade e marketing da Fiat) destaca que ao invés de ser um carro-conceito para o salão, “discutimos condições de locomoção e utilização que interessam para todo o mundo. O maior diferencial é falar de um carro para o futuro ser construído hoje”. O protótipo mede 2,5 metros de comprimento, 1,5 metro de largura e 1,5 metro de altura. Ainda segundo Ciaco “Foi um processo colaborativo de fora para dentro. É um projeto que está mudando o jeito de pensar dentro de uma montadora. Antes o desenvolvimento era muito fragmentado. Com o Mio, unimos todas as áreas”.
  O carro-conceito contará ainda com alta tecnologia que ainda não está disponível no mercado automobilístico, tal como, sistemas de integração de gadgets e painel integral com tecnologia touch screen. O design moderno aposta na aerodinâmica das rodas cobertas por grandes calotas e nos vidros que escurecem sozinhos.
O Mio é o resultado da interação entre tecnologia, comunicação empresarial e marketing.

Camila Alzira e Joana D'Arc

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Evoluções da monografia - O discurso publicitário nas propagandas de cervejas nacionais: possíveis modificações



  Bem, após várias orientações com a professora Renata Alencar nestes meses, algumas modificações foram necessárias e posteriormente aplicadas à monografia que debate sobre o discurso publicitário nas propagandas de cervejas nacionais. Hoje irei apresentar no seminário desenvolvido pela professora a defesa do meu estudo. Foi difícil escolher os dois nomes para serem os pareceristas, já que o corpo docente da Faculdade é o principal fator motivador entre os alunos.
  Assim desejo sucesso tanto para mim, quanto para os outros. Boa sorte!


Camila Alzira.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Você usa mais o seu lado esquerdo ou o seu lado direito do cérebro?

         

É bom pensar nisso! Segundo Daniel Pink (Jornalista especializado em Gestão empresarial) conhecido por publicar livros paradigmáticos no âmbito econômico, diz que quem pensa mais com o lado direito se sobressairá melhor, pois “Comandará a era conceitual. É uma questão de sobrevivência”. Como poderemos competir com a tecnologia da era digital, apenas com o nosso cérebro?
            O lado esquerdo do cérebro especializou-se em tarefas ligadas à lógicas lineares, seqüenciais e analíticas, enquanto, que o direito trabalha em prol de compreender as coisas em conjunto em vez de seqüenciais, processa mais o contexto do que o texto em si e em sintetizar do que analisar. O importante é que o cérebro utiliza dos dois hemisférios (esquerdo e direito), o que possibilita ao ser humano sobreviver e ser sucedido no século 21.
            Nas últimas décadas os trabalhos do tipo engenharia, direito e contabilidade exigiam muito do lado esquerdo, atualmente (era conceitual) essas habilidades ainda são importantes, mas sozinhas não bastam.  As habilidades características do hemisfério direito estão “aflorando” o que contribuirá para dividir os que irão para frente dos que ficarão para trás. Três forças são as responsáveis por este acontecimento: abundância, Ásia e autonomia. “Para ‘acontecer’, você tem de fazer algo que seja difícil de terceirizar, difícil de automatizar e que atenda à demanda crescente por coisas não-materiais, com características estéticas, espirituais ou emocionais”. É muito difícil associar ambas atividades artística ou de contextualização.
Antigamente a sociedade buscava por profissões que gostavam e não se preocupavam tanto com o mercado, por isso de “certa forma” o emprego era garantido, certos de que a mão de obra era essencial. Com o passar dos anos, a tecnologia nos forçou a reciclar nossas habilidades, numa constelação de conhecimento e capacidades que não possam ser facilmente exportadas, replicadas e automatizadas.
            Um exemplo de empresa que está adotando a era conceitual e deixando a era informacional é a Apple, adepta a inovações de grande usabilidade. Outras empresas que ainda estão presas a outra era são, por exemplo, a Microsoft e Dell. No entanto, Daniel cita a Google como uma empresa que trabalha com o hemisfério esquerdo, mas por utilizar algumas características do hemisfério direito pode desfrutar do sucesso que a engloba. Os grandes empresários e empreendedores já perceberam essa modificação e estão refletindo que é melhor aderir do que correr atrás do prejuízo futuramente.
            Outro fator importante é o investimento interno e não apenas externo, ou seja, a Google oferece inúmeras vantagens aos seus colaboradores, pois perceberam as inúmeras vantagens desta ferramenta (motivação no trabalho intrínseca do que extrínseca).  Daniel ressalta ainda, que algumas pessoas desenvolvem mais algumas atividades do que outras, isso por que usam mais um lado do cérebro do que o outro.
Daniel passa dois conselhos importantes:
·  Desconfiar de pessoas que autoproclamam especialistas e distribuem conselhos.
·   Conhecer-se e conhecer a sua própria fonte de motivação intrínseca.
O segredo é o seguinte.
“Quem consegue maior sucesso no mundo material é quem é intensa e intrinsecamente motivado”.

Fica o recado e até a próxima postagem galera!




Camila Alzira e Joana D'arc


terça-feira, 19 de outubro de 2010

Para os intelectuais, afins e quem mais se interessar.

Não É Todo Dia Que aparece Uma chance de Aprender Sobre semiótica Como ESSA. SE VOCÊ interessou entao nao Perder PoDE. "Interagindo O Mundo Por Meio dos signos: A semiótica não diâmetro Seu dia um"

Palestrante: André Mendes Mello Doutor Comparada Teoria em (Ênfase Sistemas Semióticos) Pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais. Professor de Paradigmas da Comunicação não IEC-PUC, professor de Semiótica, Oficina de Linguagens e Fotografia das Faculdades Promove, vencedor do Prêmio Moinho Santista 2002 e (Fundação Bunge) do Prêmio Cecília Meireles 2008 (FNLIJ).
Autor do Livro: A complexização do Objeto artístico - Uma Análise da obra de Ângela Lago - Editora UFMG.Iniciativa: Academia de Idéias.
Valor: R $ 210,00
Maiores Informações Acesse  http://www.academiadeideiais.com/ 

Camila Alzira.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Palestrante: FRANKLIN BRITO ARAÚJO
Empresa: boo digital (Voltada para bandas musicais e entretenimento).

            Franklin inicia sua palestra apresentado a grande estrela do momento, o telefone celular, mas específico do Marketing Mobile. Segundo Franklin, antes as pessoas passavam cerva de 8 horas em frente à TV, hoje as pessoas dividem seu tempo com a tecnologia (e-mails, redes socias e etc). Esta disposição à TV não faz mais parte do cotidiano das pessoas atualmente.
Com o marketing móbile a tecnologia é voltada para o celular com o desenvolvimento do conceito do produto, elaborando a navegação, usabilidade e design de todas as interfaces necessárias para que os usuários possam se comunicar. Não se trata de uma invenção, mas sim de uma mídia que jamais pode ser feita isolada, pois tem uma comunicação direta com rádios, TV’s, fazer compras, qualquer atitude que possa ser feito através do aparelho celular.
            Franklin acrescenta dizendo que há dois segredos para atingir o público, onde o primeiro diz respeito a não ser span e o segundo é prender o público (oferecendo brindes). Esses dois mecanismos, no entanto, não são os únicos aparatos, o MOBILE conta também com três pilares: Permissão; Relevância; Atualização.
            O palestante revela os ingredientes para o sucesso do MOBILE – Redes Sociais, Wel/Cel, SMS/Bluetooth/MKT, Conteúdo Multimídia, dentre outros -, a comunicação tem que acompanhar as tendências. Em comparação com outras formas de abordagem, podemos citar, por exemplo, o outdoor (olhar par a este meio perde-se muito tempo) Mobile (minutos de abordagem, gera resultados monstruosos). No mais se trata de uma poderosa ferramnete para abordar o público, porém, deve-se tomar alguns cuidados antes de iniciar neste “fabuloso” mundo do MOBILE.

            Alunas: Camila Alzira  e  Joana D'Arc